cervical6

Os músculos do membro superior são inervados pela cervical, por isso este termo (cervicobraquialgia)

Uma raiz nervosa, onde há uma inflamação, apresenta alteração da condução elétrica nervosa por causa da alteração do Ph local e por isso, todos os tecidos (músculos, ligamentos, osso, fáscias, cápsulas, vísceras e vaso) por ela inervados podem apresentar algum tipo de alteração. Como conseqüência, teremos repercussões diretas e indiretas:

  • As diretas estão relacionadas aos tecidos inervados pela raiz em questão, ou seja: músculo (hipertonia local, hipotonia a distância e cordões miálgicos), osso (dor no processo espinhoso e a distância), víscera (disfunções viscerais) pele (dermalgia reflexa), vaso (estases locais)
  • As indiretas, relacionam-se com as compensações biomecânicas decorrentes das disfunções metaméricas, por exemplo: Uma disfunção de C5, C6 ou C7, pode levar a uma hipotonia do serrátil anterior (repercussão direta), que por sua vez desequilibra a estrutura muscular do ombro podendo levar a uma tendinite do supra espinhoso (repercussão indireta).

O tratamento, parte basicamente da ideia de descobrir quais são os movimentos restritos e liberá-los. Tendo em vista os principais bloqueios encontrados nestas síndromes.

Portanto,   para   podermos   pautar  o  tratamento,  devemos ter  em  conta todas as possíveis origens da dor, assim como as características da dor de acordo   com   cada   tecido.   Feito isso,   as   grandes   armas   do Terapeuta Manual  no  seu  diagnóstico  e   tratamento  são  a  palpação  e os testes de mobilidade.

Descobrir as restrições teciduais, suas direções e parâmetros é o que nos possibilita   saber   que  técnica   usar  e   de   que   forma.   Seguindo   estes preceitos  básicos,  torna-se  muito mais  rápido e eficaz o  tratamento  da cervicobraquialgia .

O   bom   de   tudo   é  que nem   sempre  a  neuralgia  cervicobraquial  está associada  a  um  comprometimento   discal,  ou   a   uma   patologia,   pelo contrário  está  mais  comumente  associado  a  uma   disfunção   somática.

As cervicobraquialgias estão comumente associadas a quatro fatores:

arteriaRadiculalgias (compressão da raiz nervosa com conseqüente  irradiação às estruturas inervadas por aquela raiz nervosa).

 

 desfiladeiroSíndrome do desfiladeiro torácico e desfiladeiro inter escalênico  Compressão de artéria, veia e nervos que passam entre a primeira costela, clavícula,      escaleno       e        peitoral. Resultando        em        sintomas        na extremidade       superior       do       tipo formigamento.

 

carpo-Tunel-do-carpo-sindrome-tunel-carpo-1 phalenTemos        também        as neuropatias                   por compressões periféricas Exemplo: Síndrome do túnel  do         carpo     que podem                    provocar irradiação      no     sentido tanto da cervical quanto do punho  por conta do trajeto do nervo mediano q sai da cervical  e vai  até o  polegar,  indicador , dedo médio  e metade  do dedo anular. nervo-medianon.mediano

 

Dores Referidas, que podem ocorrer por distúrbios viscerais. Isso ocorre  porque estas vísceras são inervadas pelo nervo vago(X par craniano) sendo assim, algumas vísceras podem produzir dores nessa região:

· Coração (dor em MSE),

olho-1· Pulmão (dor em escalenos),

∙ Fígado(dor em MSD) ,

∙ Baço (dor em MSE),    

 ·Estômago  (dor na região dos    

 trapézios)          

· Diafragma (ombros)

 

 

protacaoDistúrbios estruturais que podem provocar uma sobrecarga na região cervicobraquial

 

 

Outros fatores que podem   apresentar dor na região cervicobraquial são as  patologias  locais,  ou  que  podem   gerar  dor  referida  neste    trajeto. Abaixo  encontram-se  as  principais  patologias  com  suas  características mais importantes:

· Câncer vertebral (dor intensa, que não se relaciona com movimento, rebelde ao tratamento e com sinais motores), Neurinoma (dor noturna ou ao deitar, síndrome piramidal homolateral e rigidez cervical), Siringomielia (alterações da sensibilidade térmica, multirradiculares), Distrofia simpático reflexa (dor constante, edema, com alteração da sensibilidade, afetando todo o membro superior), Herpes Zoster (dor surda, aparecimento de vesículas no trajeto da raiz nervosa nos dias seguintes), Flebite (edema importante), Costela Cervical (isquemia de membros superiores , com esfriamento dos membros inferiores, cianose dos dedos, diminuição importante do pulso radial)

Bibliografia

 

Cailliet, Rene – Dor Mecanismos de tratamento – Ed. Artmed,2000.

 

Grieve, Gregory – Manipulação Vertebral – Ed. Panamericana Gross

 

Fetto e Rosen – Exame Musculoesquelético.- Ed. Artmed,2000.

 

Ricard, François – Tratado de Osteopatia. Ed. Robe

 

Sallé, Jean Luc – La Neuralgia Cervicobraquial. – Revista Científica de Terapia Manual y Osteopatia n° 2 da Escola de Osteopatia de Madri, 1999.

 

Esse conteúdo foi útil para você?
Não esqueça de recomendar ele aos seus amigos através do Facebook e o Google. Obrigado!

Sentindo dores? Descubra o que é e como podemos lhe ajudar!

Gostou do nosso conteúdo? Ajude-nos a ser relevante, indique nossa página ao Google!
Facebook
Instagram